Como ser um investidor arrojado e investir com segurança?
Autor: Equipe de Varejo da H.Commcor

Como ser um investidor arrojado e investir com segurança?

Um dos segredos para ter sucesso no mundo financeiro é traçar estratégias e fazer investimentos alinhados ao seu perfil de investidor e objetivos estabelecidos.

Ao identificar o seu perfil, é possível entender o seu nível de tolerância ao risco e deste modo, a corretora poderá te auxiliar com sugestões de investimentos mais alinhados com suas metas.

Já pelo lado oposto, o investidor que não conhece o seu perfil, tem mais chances de fazer escolhas inadequadas.

No entanto, nem todo mundo sabe qual é o seu perfil e isso pode levá-lo a escolher investimentos pouco favoráveis. 

Pensando nisso, preparamos este post para falar sobre como ser um investidor arrojado e investir com segurança.

Boa leitura!

O perfil do investidor arrojado

O perfil arrojado, muitas vezes também chamado de perfil agressivo, é caracterizado pelo investidor com uma alta tolerância ao risco. Esse tipo de investidor tem como principal objetivo encontrar a melhor rentabilidade do mercado, independentemente do nível do risco de perda.

Nesse sentido, geralmente, o investidor arrojado possui bons conhecimentos sobre o mercado financeiro e busca por uma rentabilidade a longo prazo.

Isso porque os investimentos arrojados são considerados de maior risco e é justamente por isso que a sua rentabilidade é superior, ou seja, quanto maior o risco maior o lucro.


Esse tipo de investimento possui um potencial de lucro maior, podendo trazer retornos bem acima da taxa básica de juros. 

Geralmente, os investimentos que mais se alinham com o perfil agressivo são os de renda variável, mas isso também significa que o retorno para o investidor está condicionado à fatores como o desempenho da economia e das empresas nas quais ele investiu.

Outro aspecto importante, que inclusive já mencionamos aqui no blog, é que os investimentos arrojados possibilitam fazer alavancagem e maximizar os lucros.

Vale lembrar que a alavancagem permite potencializar os ganhos, mas ficando vulnerável a perdas caso a estratégia não saia como esperado. Neste último caso, o investidor pode perder mais do que o capital investido inicialmente.

Para finalizar, ainda é importante mencionar que para realizar esse tipo de investimento, é essencial contar com uma corretora de valores de confiança, qualificada e que ajude você a criar estratégias de investimentos alinhadas com o seu perfil.

A seguir, confira os tipos de investimentos:

Tipos de investimentos arrojados

Em muitos casos, o investidor arrojado possui uma boa parte de recursos à sua disposição e pretende fazer com que a outra parte do seu patrimônio cresça rapidamente, garantindo bons negócios. 

Sendo assim, as suas preferências são, na maioria das vezes, por ativos de renda variável, como ações, fundos imobiliários e fundos multimercado.

Ações

As ações são títulos que representam uma cota de uma empresa. Ao comprar uma ação, o investidor se torna sócio da empresa e tem participação nos lucros. 

Elas podem ser compradas e vendidas na bolsa de valores através de uma corretora de valores, ou por plataformas de investimento disponibilizadas por ela.

Para escolher as ações mais apropriadas, o investidor deve adotar alguns critérios de avaliação das empresas, sem se preocupar com as oscilações de curto prazo das cotações das suas ações, por outras palavras, a volatilidade.

Além disso, é recomendável considerar as sugestões da corretora de valores, que terá uma equipe dedicada a maximizar o seu lucro.

Os investidores com perfil mais agressivo, buscam aproveitar a volatilidade do mercado para comprar e vender ações, de forma a obter lucros rápidos. 

Geralmente, investidores com esse perfil, utilizam a Análise Técnica e Tape Reading para escolher onde investir. 

Aliás, aqui no blog temos artigos explicando o que é a Análise Técnica e Tape Reading.

Fundos de investimentos imobiliários

O Fundo Imobiliário consiste num grupo de pessoas que se juntam para investir em ativos imobiliários. Por outras palavras, o fundo de investimento imobiliário é uma comunhão de recursos destinados à aplicação em empreendimentos imobiliários. 

Cada investidor recebe uma cota do fundo, de acordo com o valor aplicado, e o dinheiro investido é administrado por um gestor responsável por encontrar e realizar os investimentos mais lucrativos e garantir uma boa rentabilidade para o fundo.

Alguns fundos imobiliários investem também em títulos imobiliários, como Letras de Crédito Imobiliário, Certificados de Recebíveis Imobiliários ou até mesmo em cotas de outros fundos imobiliários.

Os fundos de investimentos imobiliários podem ser classificados em duas grandes modalidades:

Fundos de tijolo

São fundos que tem como objetivo investir na aquisição, construção ou aluguel de imóveis comerciais, que são:

Fundos de papel

São fundos que tem como finalidade investir em títulos financeiros vinculados ao mercado imobiliário, como:

Fundos multimercado

Os fundos multimercados fazem parte de uma categoria de fundos de investimentos que possui como política de investimento mesclar aplicações de vários mercados, como renda fixa, ações, câmbio, entre outros.

Por outras palavras, podemos dizer que o fundo de investimentos consiste num grupo de pessoas que realizam investimentos de acordo com uma política e estratégia de investimento predeterminadas. 

A ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) divide os fundos multimercados em 10 diferentes tipos, de acordo com a especialidade, os fatores de risco ou os mercados em que atuarão. Confira:

1. Arbitragem

Operam as distorções do mercado. Por exemplo, comprando uma ação brasileira e vendendo juros americanos, buscando um fechamento de uma distorção nos preços históricos entre esses dois ativos.

2. Macro

Definem as estratégias de aplicação baseadas na antecipação de movimentos macroeconômicos que determinem os preços futuros dos ativos, seja este de juros, câmbio, moedas, renda fixa. Suas posições são direcionais e de longo prazo.

3. Multiestratégia

Focados na adoção de múltiplas estratégias, sem o compromisso de adotar uma em particular. As decisões de investimentos são baseadas em uma profunda análise global de risco e retorno, considerando tanto o ambiente macroeconômico, como a situação dos ativos em si.

4. Multigestor

Investimentos em mais de um fundo, geridos por gestores diferentes. O objetivo aqui é dar maior especialização na gestão de cada ativo, fortalecendo as possibilidades de retorno positivo.

5. Trading

Esses fundos exploram oportunidades de ganhos originadas por movimentos de curto prazo nos preços dos ativos.

6. Long & Short – Direcional

A estratégia nessa modalidade é montar posições compradas e vendidas, simultaneamente. 

Por exemplo, o gestor compra ações de uma empresa subvalorizada (esperando que os preços subam); ao mesmo tempo, vende as ações de outra (o famoso “operar vendido”), cuja tendência de alta parece ter alcançado o limite, dando indícios de eminentes correções. 

A ideia é vender primeiro para comprá-las quando os preços caírem, gerando lucro em uma operação inversa (primeiro vende e depois compra).

7. Long & Short – Neutro

Assim como no caso anterior, há também posições compradas e vendidas simultaneamente. A diferença aqui é que o objetivo é garantir exposição neutra ao mercado, ou seja, trata-se de uma operação mais cautelosa do que a especialidade anterior.

8. Long Biased

Assim como no caso anterior, há também posições compradas e vendidas ao mesmo tempo. A diferença aqui é que esse tipo de fundo não tem obrigação de ficar com posições vendidas. Sendo assim, se o gestor acreditar em uma alta do mercado, poderá posicionar toda a sua carteira em compras.

9. Juros e moeda

Estratégia de longo prazo ligada ao investimento em ativos de renda fixa, atrelados ao risco de juros, índice de preços e moeda estrangeira.

10. Estratégia específica

Focados no desenvolvimento de estratégias ligadas à riscos específicos, como índices e commodities.

Conclusão

Vimos ao longo do post que, ser um investidor arrojado não significa apostar em qualquer investimento ou cometer loucuras para conseguir maiores lucros. Todos os tipos de investimentos mais agressivos precisam ser feitos com cautela, e por isso o auxílio de uma corretora de valores é fundamental para um acompanhamento profissional e experiente.

Assumir-se enquanto investidor arrojado já é um grande passo, onde você assume uma posição de risco e se prepara, adequadamente, para as escolhas e decisões que irá tomar. O problema é quando o investidor não tem perfil arrojado e acaba trilhando caminhos divergentes dos seus, resultando em perdas maiores e mais significativas.

Se você acredita que o nosso texto te ajudou a saber como ser um investidor arrojado e investir com segurança, clique aqui e fale agora com um consultor especializado.

Temos soluções diversificadas para cada perfil de investidor.